Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Depois da Serotonina

É um pequeno comprimido branco, oval, divisível.

Review: When They See Us (2019)

06.03.20 | Francisco Sousa

MV5BZmJjM2YzOWEtOTYxYi00YjhkLTliMzgtMTA2MTc0NDQ1MD

When They See Us é uma mini-série de 4 episódios lançada em 2019 na plataforma Netflix. Criada por Ava DuVernay e com Oprah Winfrey no papel de produtora executiva, a série é baseada num caso real que aconteceu em Nova Iorque a 19 de abril de 1989.

 

5 Jovens, de idades entre os 14 e os 16 anos, são acusados injustamente de espancar e violar uma mulher que fazia jogging no Central Park. Apanhados no local errado à hora errada, os jovens são levados para a esquadra e interrogados de uma forma antiética. Privados de comida, advogados ou da presença dos pais, Kevin Richardson, Antron McCray, Yusef Salaam e Korey Wise são obrigados a prestar depoimentos que não correspondem à verdade, com a promessa que se admitirem o crime podem regressar a casa. O processo desenvolve-se até chegar ao julgamento onde são condenados, apesar de nenhuma prova incriminar qualquer um deles. Todo o caso foi abordado com base na discriminação racial (4 deles são negros e 1 é latino-americano) e com o objetivo de encontrar um (ou vários neste caso) culpado o mais rápido possível, de modo a dar "justiça" à vitima.

 

A série está dividida em 4 episódios, sendo que a timeline se pode dividir em dois: a primeira parte, engloba os dois primeiros dois episódios e mostra-nos o que aconteceu desde a noite do crime até ao dia do julgamento final. A segunda parte, mostra o percurso de cada um dos jovens após a sentença até ao momento em que são ilibados dos crimes e libertos.

 

Uma das cenas que mais me impressionou na série, foram as que contaram com a aparição de Donald Trump. Na série, Donald Trump compra páginas inteiras de jornais diários com o objetivo de propor a pena de morte para os jovens acusados. Relembro que na altura eles tinham entre 14 e 16 anos! E o pior de tudo: isso também é real. Donald Trump fez mesmo isso...

 

Ainda nessa cena, Donald Trump dá uma entrevista em que diz que os negros residentes nos USA são privilegiados e têm vantagens em relação à restante população. O diálogo seguinte, entre a mãe de um dos acusados e uma amiga sua, é talvez o mais marcante da série.

- O que é um preto?
- Eu não sei. Mas talvez ele tenha razão. Às vezes temos de perguntar a nós próprios, quando é que o homem branco vai ter uma chance neste país.
- Não me faças rir. Têm de tirar este intolerante da televisão.
- Não te preocupes, os seus 15 minutos de fama estão a acabar

Esperemos que os 4 anos de fama de Donald Trump estejam a terminar...

when-they-see-us.jpg

Kevin Richardson, Antron McCray, Yusef Salaam e Korey Wise

 

A minha experiência

A série prendeu-me desde o início. Apesar dos episódios serem longos (cerca de 1 hora cada), vê-se bastante bem. É intensa e permite criar uma relação de compaixão com os personagens, pela injustiça que lhes é imposta. 

 

Vi a série pouco tempo depois do tema racismo estar em voga em Portugal, muito devido ao caso Marega, jogador do Porto que sofreu insultos racistas durante um jogo diante do Vitória de Guimarães, e também ao deputado André Ventura, que também ele foi acusado de racismo à deputada independente Joacine Katar Moreira. Tudo isto me fez pensar no tema que foi discutido durante estas semanas nos meios de comunicação "Portugal é ou não uma país racista?"

 

Primeiramente, um país não é racista, até porque os países são criações mentais que apenas servem para melhor nos organizarmos. As pessoas sim, podem ser racistas. A questão é então "Os portugueses são racistas?". Bom, uns sim, outros não, mas isso é como tudo. Acho que na maioria, os portugueses não são racistas, ou pelo menos não da maneira mais "agressiva" do termo. Felizmente, é possível que um não-branco viva em Portugal de forma livre, tenha um emprego, mesmo que muitas vezes estes sejam precários, e até possa obter nacionalidade portuguesa. É claro que sempre irá existir preconceito, mas cabe-nos mudar não só a nossa geração, como também as próximas, de forma a atenuar cada vez mais este, e outros tipos de discriminação.

 

Nota Final

Nota8.jpg

 

E tu, já viste a série? O que tens a dizer sobre ela e sobre o tema "racismo". Deixa a tua opinião nos comentários.